Resenhas

Em “Stand In The Fire”, Striker mostra raça e bom repertório metálico



Striker – “Stand In The Fire” [2016]

Destaque da nova cena metálica do Canadá, o Striker parece ter chegado ao seu melhor momento em “Stand In The Fire”, quarto disco de estúdio. A fórmula que alia velocidade, vocais agudos e timbres gordos a passagens melódicas, especialmente refrães, e cuidados precisos com backing vocals foi aprimorada a partir do bom repertório apresentado por aqui.

A abertura com “Phoenix Lights” apresenta as credenciais com um heavy metal intenso, de pegada tradicional e refrão poderoso. “Out For Blood” dá sequência com versos acelerados e um trecho inusitado, com instrumentos de sopro, em seu miolo. Sensacional. A semi-balada “Too Late” é bem melódica, mas poderia ser mais curta – beira os cinco minutos de duração.

A pesadíssima faixa título tem um andamento peculiar e até grosseiro em alguns momentos. Boa surpresa. “The Iron Never Lies” é o típico hard n’ heavy virtuoso, nos moldes de Axel Rudi Pell. O instrumental “Escape From Shred City” abre alas para a nervosa “Outlaw”, com a bateria de Adam Brown na linha de frente.

“Locked In” é o típico heavy metal moderno, que contrasta versos pesados com refrão super-melódico, em coro. Já “United” tem a pegada tradicional do hard n’ heavy, com um riff sedutor de guitarra e passagem cheia de “ô-ô-ô” no miolo da canção. “Better Times” é confusa, mas é compensada pelo fechamento com “One Life”, uma balada oportuna e grandiosa que fica pesada em seu minuto final. Poderia estar até acima na tracklist.

No geral, “Stand In The Fire” é muito bom. Peca por alguns exageros – muito pedal duplo e muito solo de guitarra em alguns momentos, sobrepondo os vocais -, mas é preciso dar um desconto: o trabalho dos caras é independente e feito com um orçamento menor do que grandes nomes do segmento. O disco tem ótimas músicas e um elemento importante no metal: raça, convertida em pegada.

Nota 8

Dan Cleary (vocal)
Timothy Brown (guitarra)
Trent “The Quantum Villain” Halliwell (guitarra)
Wild Bill (baixo)
Adam Brown (bateria)

1. Phoenix Lights
2. Out for Blood
3. Too Late
4. Stand in the Fire
5. The Iron Never Lies
6. Escape from Shred City
7. Outlaw
8. Locked In
9. United
10. Better Times
11. One Life


Igor Miranda
Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Escreve sobre música desde 2007. Atualmente, é redator do Whiplash.Net, o maior site sobre rock e heavy metal do Brasil. Também é editor-chefe da revista e site Guitarload, para guitarristas, e redator do site Revista Cifras, a página editorial do portal Cifras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *