Bruce Dickinson não queria ser esgrimista, mas sim boxeador

Esgrima apareceu por acaso na vida do vocalista do Iron Maiden, ainda na juventude

Entre as várias atividades de Bruce Dickinson fora da música, a esgrima foi por muito tempo aquela com que ele mais se sobressaiu. O vocalista do Iron Maiden chegou a ser top 10 britânico na modalidade, treinando até mesmo com a seleção nacional.

Sua ocupação principal nunca permitiu que pudesse conciliar as agendas de forma mais incisiva. Porém, o que poucos sabem, é que este não era o esporte que o cantor gostaria de ter praticado desde cedo, como explicou à AXS TV (com transcrição do Ultimate Classic Rock).

“Inicialmente eu queria lutar boxe. Sempre fui brigão, mas sou baixinho, o que é um problema em algumas situações. Veja Napoleão, por exemplo. Se tivesse sido um boxeador, poderia ter se dado bem, mas preferiu tentar conquistar o mundo. Imaginava que poderia me livrar desse ímpeto com o boxe, mas não ofereciam na escola onde eu estudava, assim como nenhuma arte marcial.”

A situação mudou de vez quando um professor de metalurgia o apresentou ao esporte com espadas.

“Ele apareceu um dia na aula com uma Excalibur, uma espada de duas mãos completa. Ficamos todos admirados. Ele disse que poderia nos mostrar como fazer uma e também como usar, pois também era instrutor de esgrima. Foi o único esporte em que acabei sendo bom, então segui em frente.”

Bruce Dickinson longe dos melhores na esgrima

Apesar da prática, Bruce Dickinson descarta a ideia de que tenha chegado a ser um dos melhores do mundo no manejo da espada.

“Eu estava em algum lugar no meio da tabela. Era como ser um jogador de tênis profissional que não está entre os 10 melhores do mundo, nem mesmo está entre os 50, mas não era ruim.”

Em 1998, durante passagem pelo Brasil, Dickinson treinou na Federação Paulista de Esgrima. A MTV Brasil registrou o momento, que pode ser conferido abaixo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Relacionados
Total
13
Share