Curiosidades Destaque Notícias

Flea fala sobre disco que Red Hot Chili Peppers gravou em 2003, mas não lançou


O baixista Flea foi questionado por um fã, pelo Twitter, sobre uma série de músicas que o Red Hot Chili Peppers gravou no ano de 2003, mas nunca lançou oficialmente. O material, que poderia compor um álbum, foi registrado para completar a tracklist da coletânea “Greatest Hits” (2003) – apenas duas faixas, “Fortune Faded” e “Save The Population”, entraram na edição final.

“Vocês vão lançar, algum dia, as músicas da era de 2004? Particularmente, adoraria ter ‘Leverage Of Space’ em boa qualidade”, perguntou o internauta, citando uma das músicas compostas no período. “‘Mini-Epic’ também foi uma boa daquela sessão. Aquilo já foi lançado? Você sabe melhor do que eu”, afirmou.

“Mini-Epic” was a good one from the session too. Did that ever come out? You’d know better than me

— Flea (@flea333) 30 de agosto de 2018

As duas músicas citadas nos tweets nunca foram lançadas oficialmente em suas gravações de estúdio. No entanto, elas já foram disponibilizadas versões ao vivo: “Leverage Of Space” saiu em “Live In Hyde Park”, de 2004, enquanto “Mini-Epic (Kill For Your Country” foi divulgada em “Cardiff, Wales: 6/23/04”, que chegou a público em 2015.

Além dessas duas faixas e de “Fortune Faded” e “Save The Population”, sabe-se, também, que as canções “Rolling Sly Stone” e “Desecration Smile” foram concebidas nas sessões de 2003 e chegaram a ser tocadas na turnê “Roll On The Red Tour”. “Desecration Smile”, inclusive, foi reformulada e lançada no álbum “Stadium Arcadium”, de 2006.

Em entrevista à Modern Drummer no ano de 2011, o baterista Chad Smith já havia falado sobre o material composto nas sessões de 2003. “Paramos para fazer algumas músicas na pausa da turnê e gravamos umas 16 músicas. Não eram todas ótimas, mas 12 delas eram provavelmente boas”, contou.

– Leia: A complicada primeira saída de John Frusciante do Red Hot Chili Peppers

Após o fim da turnê, Smith sugeriu que as melhores músicas daquele material fossem aproveitadas para um novo disco. Contudo, segundo ele, o guitarrista John Frusciante disse que as músicas eram “de nove meses atrás” e que ele não estava tocando mais daquele jeito. “Estou tocando e ouvindo coisas diferentes, então, vou compor músicas diferentes”, disse Frusciante, de acordo com o baterista. “Sendo assim, há um disco que fizemos e que não sei se alguém vai ouvir algum dia”, concluiu o baterista.

* Siga IgorMiranda.com.br no InstagramFacebook e Twitter.


Igor Miranda
Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Escreve sobre música desde 2007. Atualmente, é redator do Whiplash.Net, o maior site sobre rock e heavy metal do Brasil. Também é editor-chefe da revista e site Guitarload, para guitarristas, e redator do site Revista Cifras, a página editorial do portal Cifras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *