Curiosidades Notícias

Ex-baterista do Nirvana não se arrepende de ter saído antes da fama



O baterista Chad Channing, membro do Nirvana entre 1988 e 1990, revelou, em entrevista à Kaaos TV (transcrição via Blabbermouth), que não se arrepende de ter deixado o Nirvana antes da banda conquistar a fama com “Nevermind” (1991). O músico tocou no álbum anterior, “Bleach” (1989), e chegou a fazer demos para “Nevermind” – sua versão para “Polly” entrou na tracklist final.

“Não me arrependo, pois sempre achei que as coisas se encaixam por um motivo. Por exemplo, eu era a peça perfeita para o quebra-cabeça da banda na época, e, então, eles precisavam de outra peça para fazer outras coisas”, afirmou Chad Channing.

– 5 projetos que se tornariam reais se Kurt Cobain não tivesse morrido

Durante a entrevista, Channing também disse que Dave Grohl, músico responsável por ocupar sua vaga, foi muito amigável quando eles se conheceram. “Nossas diferenças eram estritamente em um nível musical. Sempre fomos amigos. Lembro da primeira vez que os vi com Dave (Grohl) no OK Hotel. Foi a primeira vez que os via em um ano e foi ótimo. Foi muito amigável. Descobri como Dave é um cara legal. Foi muito legal conhecê-lo também”, disse.

Chad Channing deixou de fazer parte do Nirvana em 1990. Ele não estava contente com o fato de não o deixarem participar do processo de composição das músicas, enquanto o vocalista e guitarrista Kurt Cobain e o baixista Krist Novoselic estavam insatisfeitos com a performance dele na bateria.


Igor Miranda
Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Escreve sobre música desde 2007. Atualmente, é redator do Whiplash.Net, o maior site sobre rock e heavy metal do Brasil. Também é editor-chefe da revista e site Guitarload, para guitarristas, e redator do site Revista Cifras, a página editorial do portal Cifras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *