Notícias

Os 10 discos que mudaram a vida de Mike Shinoda, do Linkin Park


Mike Shinoda, um dos vocalistas do Linkin Park, escolheu, em entrevista ao TeamRock, os 10 álbuns que mudaram a vida dele.

O álbum pelo qual ele quer ser lembrado: Linkin Park – “A Thousand Sons” (2010).

Mike Shinoda: “Todo artista sente que seu álbum mais recente é o seu melhor momento. Não sei como as pessoas o entenderão no futuro, mas gosto que não tenhamos ficado na zona de conforto neste álbum.”


“Ultrapasso o limite de velocidade” com: Ministry – “The Mind Is A Terrible Thing To Taste” (1989)

Mike Shinoda: “Quando você fala em dirigir rápido, este é 100% o disco para se fazer isto!”


“O primeiro disco que comprei” foi: Run DMC – “Raising Hell” (1986)

Mike Shinoda: “Comprei em vinil quando saiu e minha música favorita era ‘It’s Tricky’. Foi o que me despertou a vontade de fazer rap, além de ‘Yo! MTV Raps’.”


“O álbum que partiu meu coração” foi: Nas – “It Was Written” (1996)

Mike Shinoda: “O primeiro disco foi um clássico. Não é que este seja ruim, mas não atingiu aquele nível.”


“O álbum que eu gostaria de ter feito” foi: Jimi Hendrix – “Are You Experienced?” (1967)

Mike Shinoda: “Amo ‘Axis: Bold As Love’, mas ‘Are You Experienced?’ está além de nossa compreensão.”


“O disco pelo qual me apaixonei” foi: The Doors – “The Doors” (1967)

Mike Shinoda: “Ouvia alguns sons quando criança, mas não era fã. Quando conheci minha esposa, a banda favorita dela era The Doors e ela me perguntou se eu já havia escutado. Tentei impressioná-la, então menti. A verdade veio logo depois e ela me fez ficar interessado na música deles. Hoje, adoro a banda.”


“Uma criança me pergunta o que é metal e eu dou uma cópia” de: Metallica – “Ride The Lightning” (1984)

Mike Shinoda: “Ouvi este disco na escola e odiava metal quando tinha 12 ou 13 anos, mas escutei o Metallica graças a Brad (Delson, guitarrista do Linkin Park). ‘Ride The Ligthing’ define o metal para mim.”


“Ninguém acredita que tenho uma cópia” de: Simon & Garfunkel – “Parsley, Sage, Rosemary And Thyme” (1966)

Mike Shinoda: “Amo Simon & Garfunel e Cat Stevens também. As letras são muito boas e mostram o que pode ser feito com canções simples e contação de histórias.”


“A melhor capa de disco é” a de: Pink Floyd – “Dark Side Of The Moon” (1973)

Mike Shinoda: “Há algo poderoso na capa deste álbum. É icônico e fala muito sobre o disco em si.”


“O disco que me lembra de tempos tristes” é: Sunny Day Real Estate – “How It Feels To Be Something On” (1998)

Mike Shinoda: “Escutei a banda uma vez quando estava na faculdade. Estava na minha, sem família por perto, e a realidade de se estar solitário é amedrontadora.”

Veja também:

Gravadora queria tirar Mike Shinoda do Linkin Park
Ouça os vocais isolados de Chester Bennington no Linkin Park


Igor Miranda
Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Apaixonado por rock desde a pré-adolescência, começou a escrever sobre música na internet em 2007. Anos depois, co-fundou o site Van do Halen e trabalhou como repórter do jornal Correio de Uberlândia. Atualmente, é redator-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia sites como o Cifras, Ei Nerd e outros. Também é redator do Whiplash.Net, o maior site de rock e heavy metal do Brasil.
http://igormiranda.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *